24 de set de 2009

180º

minha vida passa em 180º.

São ciclos, que normalmente se encerram com uma nova mudança. um novo 180º.

esse é o início de mais um deles.

e se esse blógue vive desatualizado, a culpa é, em parte, desse novo começo.

no princípio, eram apenas sonhos, planos. de repente, a coisa tomou forma e a forma desenhou o medo. o pavor de navegar rumo ao desconhecido. mas, de mãos dadas, qualquer tormenta se torna garoa.

em 10 dias o plano tomou corpo, o medo virou combustível e uma nova realidade se desenhou diante de nossos olhos: somos, realmente, companheiros.

já temos as chaves e a partir de agora, o número 98 e o número 280 daquela rua que nos uniu são “as casas dos nossos pais”. Já não podemos chamá-las de “nossa”.

a "nossa casa", agora, fica no número 11. no apartamento 3. distante 4.700 metros das casas dos nossos pais. cinco minutos de carro e muitos anos de amadurecimento.

continuamos sendo filhos. mas, agora, também somos donos do nosso próprio lar.

uma guinada. um recomeço. uma nova vida. é o que ansiamos (e haja ansiedade em uma casa com dois portadores de transtorno do pânico!). é o que está acontecendo.

é só o começo e é bastante trabalhoso. são diversas coisas pra fazer, muita grana pra gastar, muito pepino pra resolver. mas temos dado conta de tudo.afinal, se embarcamos nessa é porque somos, acima de tudo, companheiros dispostos a fazer acontecer.

e vai!